Comunidades quilombolas recebem oficinas sobre identidade gastronômica com o projeto Sabores e Saberes do Cerrado

0
10

Raízes Gastronômicas leva oficinas práticas e teóricas para as comunidades do Jalapão com patrocínio da Lei Aldir Blanc

Com o objetivo de dar visibilidade e fortalecer os povos quilombolas do Parque Estadual do Jalapão (Tocantins), o projeto Sabores e Saberes do Cerrado tem início nesta quarta-feira, 03, com realização da empresa Raízes Gastronômicas e patrocínio da Lei Aldir Blanc. Serão oferecidas rodas de conversa, palestras, oficinas práticas e cozinha-show com foco na identidade gastronômica regional.

As atividades são realizadas nos quilombos Mumbuca, Boa Esperança, Prata e Barra do Aroeira, coordenadas pela chef de cozinha Ruth Almeida, do Raízes Gastronômicas (Palmas – TO) e com a participação especial do chef e empreendedor social David Hertz, da ONG Gastromotiva, do Rio de Janeiro (RJ). A chef Ruth Almeida explica que o objetivo é trabalhar na contramão do conceito geral de que o único patrimônio do Jalapão são as belezas naturais. “O Jalapão é incrível como pólo turístico não só com os atrativos naturais, mas temos um patrimônio ainda maior que são os nossos povos ancestrais, com a sua cultura, as suas raízes, história e, claro, a gastronomia”, explica a chef Ruth Almeida.

Ele conta que o projeto visa uma troca de experiência de profissionais da gastronomia com os quilombolas, sem mudar o que já é feito, mas sim fortalecer. “Não queremos oferecer um novo modo de fazer, mas sim mostrar que com o que eles já fazem, com o que acessam facilmente no quintal, é possível se produzir alimentos e pratos que vão encantar ainda mais os turistas, empoderando ainda mais as comunidades”, complementa.

Em cada etapa, a caravana do projeto leva receitas e técnicas de gastronomia com produtos típicos do Cerrado, como a galinha caipira, a abóbora, o pequi, o peixe e o chambarii, valorizando a agrodiversidade em receitas culinárias sustentáveis, atrativas e comerciais. “Trata-se de um incentivo para que essas mulheres possam ter renda com doces, bolos, lanches e pratos salgados desenvolvidos a partir de produtos facilmente encontrados na região, como frutos, raízes, animais e plantas”, conclui Ruth Almeida.

Patrocinado pelo Prêmio Aldir Blanc e realizado pela empresa Raízes Gastronômicas, da chef Ruth Almeida, o projeto tem a produção executiva de Cinthia Abreu, da ONG A Barraca, e o apoio cultural das empresas Viva Jalapão e Jalapão Expedições.

Ruth Almeida
Chef de cozinha, consultora, pesquisadora da culinária afroindígena, Ruth já foi quebradeira de coco, doméstica, merendeira em escolas públicas e cozinheira em hotéis. Em 2016, participou do reality show “Cozinheiros em Ação”, do Canal GNT, e garantiu a terceira colocação, ao produzir no programa pratos que valorizam a culinária brasileira e da roça, definido pelo chef francês e apresentador do programa, Olivier Anquier, como uma “cozinha de amor”.

Foi aí que Ruth Almeida decidiu abrir o seu próprio restaurante, no ano de 2017 – o Raízes Gastronômicas, que valoriza a cozinha regional, e hoje se tornou empresária na área de consultoria, palestras e oficinas nas áreas de gastronomia e empreendedorismo. De lá pra cá, foi consagrada com diversos prêmios na área de gastronomia, como o título de Melhor Chef de Cozinha do Tocantins, pelo Prêmio Dolmã 2018, considerado o Oscar da gastronomia brasileira.


Cinthia Abreu
Fotos: Elton Abreu e Keven Lopes/ Divulgação